Notícias Opiniões Segurança Moto Clubes Pilotos Eventos Desporto Esc. Condução IPO Área Reservada 
Sun, 25 Feb 2024
Entrada
Atrelados
Automóveis
Bicicletas
Motos
Viaturas Usadas
Emprego
Dakar 2003

 
 
Ricardo faz bricolage mais uma vez

Na 16ª etapa perdeu-se juntamente com outras motos

Já só faltam 56 quilómetros para que o piloto do Desert Yamaha Berner Quad Team, Ricardo Leal dos Santos, possa dar como vencida a sua aposta de completar um Dakar de Quad, mas “até ao lavar dos cestos é vindima” e, para o único representante português na competição de moto, a vindima de hoje foi bem complicada.

Já em Sharm El Sheikh, Ricardo descreveu o rol de situações pelas quais passou hoje: “Até CP1, que era apenas ao Km 137, aconteceu-me um pouco de tudo. Comecei por partir o apoio de um dos pés, o que me obrigou a parar para fazer “bricolage”. Depois a navegação tornou-se bastante difícil, porque tínhamos de contornar uma grande montanha e não era muito explícito por onde o deveríamos fazer. Juntamente com um grupo de motards optámos por ir pela esquerda.

Ao fim de 10 quilómetros, já estava a voltar para trás porque não me parecia ser o caminho correcto, quando nos cruzamos com uma das Nissan oficiais, a do Thierry Delavergne. Convencidos de que afinal era mesmo por ali, lá voltámos nós para trás quando ao fim de 40 quilómetros, a Nissan estava de regresso.

Foram mais de 80 quilómetros perdidos e entretanto, na sequência do apoio do pé partido, a estrutura da moto ia cedendo e eu parando para a remediar. Com este tempo todo perdido, retomámos a pista quando já tinham passado a maioria dos carros e dos camiões e o percurso tinha-se transformado num inferno.

Em CP2, já com duzentos e cinquenta quilómetros, era o ponto onde se fazia o reabastecimento. Aí aconselharam-nos a tomar o alcatrão até ao final, já que a pista tornava-se muito pior e iríamos ter grandes dificuldades. Falhámos o CP3, mas foi a opção mais correcta e dos Quad só quatro passaram por lá. Vou levar uma penalização mas não altera a minha classificação.

Agora, falta pouco mas não quero deitar foguetes antes da festa. Amanhã, quando terminar a especial é que poderei dizer como é terminar um Dakar”.

O português Leal dos Santos percorreu os 365 km da especial de hoje, terminando em 84º lugar, o que o posiciona na 90ª posição da classificação geral.

Amanhã, com Sharm El Sheik em festa, por receber a caravana do Dakar, disputa-se uma derradeira especial com apenas 34 quilómetros, seguidos de um percurso de mais 9 até ao pódio, onde os “heróis” serão consagrados.

A2 Comunicação, 2003-01-18
 
Pesquisar

W e b - d e s i g n


  A informação disponibilizada é de carácter informativo. Não tem a pretensão de ser exaustiva nem completa.
Não nos responsabilizamos por qualquer tipo de incorrecção, embora tenhamos a preocupação de ter a informação o mais correcta possível.