Notícias Opiniões Segurança Moto Clubes Pilotos Eventos Desporto Esc. Condução IPO Área Reservada 
Sun, 15 Sep 2019
Entrada
Atrelados
Automóveis
Bicicletas
Motos
Viaturas Usadas
Emprego

 
 
Speedy foi o mais rápido em CP1 à geral e hoje e subiu ao 25º posto

Piloto do Team Repsol/Honda foi o melhor português da Etapa

Paulo Gonçalves, do Team Repsol/Honda, foi um dos pilotos em destaque na 14ª Etapa do Lisboa/Dakar 2006 realizada hoje entre Tambacounda e Dakar. O piloto da Honda CRF 450X liderou a tabela de tempos à passagem por CP1, seguido de perto por outro português (Rodrigues) e contando com interessante vantagem sobre o restante pelotão. Contudo, as exigências da navegação nesta derradeira Etapa a sério do Dakar ditaram o seu preço e o jovem de Esposende acabou por perder cerca de 30 minutos ao escolher uma pista errada.

Paulo Gonçalves caiu para a 32ª posição à passagem pelo segundo posto de controlo, mesmo assim o jovem da CRF 450X logrou recuperar até ao 27º posto e terminar a tirada como o melhor português nas duas rodas. Um resultado positivo que lhe permitiu ascender ao 25º lugar da geral e, ao mesmo tempo, assumir-se como o segundo melhor piloto Honda.

“Foi um dia de sensações contraditórias”, começou por adiantar o piloto apoiado pela RPM. “Por um lado estou contente por ter sido o melhor português na Especial e por continuar a estar bem colocado entre as Hondas na geral. Mas ao mesmo tempo estou aborrecido por ter perdido o primeiro posto que detinha em CP1”, continuou o piloto do Team Repsol/Honda.

“Já sabíamos que ia ser uma Etapa complicada em termos de navegação porque tínhamos de cruzar várias aldeias com muitas pistas próximas à saída das mesmas. Cometi um erro de navegação e isso acabou por me custar os cerca de 30 minutos que perdi para o primeiro. Teria sido um excelente prémio para o meu esforço e para o trabalho efectuado pelo Team Repsol/Honda ao longo deste Lisboa/Dakar, mas só o facto de ter liderado toda a caravana por alguns quilómetros numa Especial já é grande prémio de consolação”, refere Paulo Gonçalves a um passo das margens do Lago Rosa.

“Estou muito contente por estar aqui. Agora só quero fazer a tirada da consagração com tranquilidade e sem correr riscos. Já não há mais nada a ganhar, apenas terminar a prova. Estou entre os 25 primeiros e sou a segundo melhor português, pelo que acho que não posso pedir muito mais”, remata o piloto que hoje foi o melhor português entre as duas rodas.

Classificação da Etapa: 1º Fretigne, em 3h16m59s; 2º Coma, a 33s; 3º Farres Guell, a 16m59s; 4º Vinters, a 22m57s; 5º Verhoeven, a 23m54s; (…) 27º Team Repsol/Honda – Paulo Gonçalves (Honda CRF 450X), a 35m37s.
Classificação Geral: 1º Coma, em 55h27m17s; 2º Déspres, a 1h13m29s; 3º Sala, a 2h29m48s; 4º Blais, a 2h36m18s; 5º De Gavardo, a 3h22m47s; (…) 25º Team Repsol/Honda – Paulo Gonçalves (Honda CRF 450X), a 15h28m31s.

GateKeepers, 2006-01-14
 
Pesquisar

W e b - d e s i g n


  A informação disponibilizada é de carácter informativo. Não tem a pretensão de ser exaustiva nem completa.
Não nos responsabilizamos por qualquer tipo de incorrecção, embora tenhamos a preocupação de ter a informação o mais correcta possível.