Notícias Opiniões Segurança Moto Clubes Pilotos Eventos Desporto Esc. Condução IPO Área Reservada 
Sun, 15 Sep 2019
Entrada
Atrelados
Automóveis
Bicicletas
Motos
Viaturas Usadas
Emprego

 
 
Carlos Sousa preparado para subir ao palanque em Dakar

É a nova vez em 10 participações do piloto português

Carlos Sousa, sempre disse aos patrocinadores e amigos, que o Dakar só termina quando entregavam a carta de Controlo no palanque da chegada, no final da última etapa, e até atingir esse local na praia da capital senegalesa, tudo pode acontecer.

E hoje, quando iam num bom ritmo, alcançaram o Peterhansel, e estiveram cerca de vinte quilómetros para ultrapassar o francês: “Não foi fácil estivemos cerca de vinte quilómetros no pó dele até o conseguirmos passar. No primeiro controlo de passagem estávamos os sextos mais rápidos, mas infelizmente desta vez o meu navegador, Lurquin cometeu um erro de navegação que nos fez cair para o 15º tempo da etapa”, explica o piloto do Team Galp Energia.

O piloto português da Nissan Navara mantém seguro o sétimo tempo da classificação geral: “Foram mais os bons momentos de navegação do que os erros. E esta perdida na especial de hoje, não tem qualquer influência na classificação, nem ganhei nem perdi muito com isso, porque estamos na realidade acomodados ao sétimo lugar com diferenças consideráveis, tanto para a frente como para trás. Na primeira vez que se realizou o percurso do Rally com a partida em Lisboa, queremos chegar a Dakar bem classificados”.

Amanhã de manhã no final da etapa Lac Rose/Dakar, a espectacular Especial realizada nos areais, Carlos Sousa quer atingir o seu objectivo final: “estamos perto de alcançarmos um bom resultado, novamente nos melhores 10 e desta vez só com pilotos oficiais das grandes marcas na nossa frente”, lembra o piloto também apoiado pela TMN e Internarché, que considera a equipa Schlesser de nível oficial, pelos meios e orçamento que o francês tem para participar nesta prova.

Se tudo correr normalmente, Carlos Sousa consegue chegar, pela nona vez, a Dakar, em somente 10 participações na prova organizada pela ASO: “Foi muito bom o facto da prova ter partido de Lisboa, especialmente para nós, os pilotos portugueses. Cada um à sua maneira sabe o que teve de sofrer para cá chegar. Estou satisfeito por liderar este grupo, que levou até Dakar uma excelente representação de grande qualidade. Eles são os verdadeiros heróis desta prova. Agora, tenho a vida mais facilitada na Nissan, mas não esqueço o que passei em outras edições”, concluiu.

Aventuras no Mundo, 2006-01-14
 
Pesquisar

W e b - d e s i g n


  A informação disponibilizada é de carácter informativo. Não tem a pretensão de ser exaustiva nem completa.
Não nos responsabilizamos por qualquer tipo de incorrecção, embora tenhamos a preocupação de ter a informação o mais correcta possível.